LyricMoods



O lyricmoods trata de partilha de lyrics de songwritters (ilustres ou nem por isso), canções que me acompanham, das quais gosto, das quais tirei conteúdo, das quais disfruto dia após dia, com as quais me identifico...








   

<< December 2016 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01 02 03
04 05 06 07 08 09 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31


O Outro Lyric

Lyricsounds


Blog Neighburs


Com Musica

A Ampola Faz Pop
A Forma do Jazz
Alta Fidelidade
A Trompa
Beep Crónicas
Coisas do Puto
Concrete Sky
Dear 80's
Ginger Ale
Intervensões Sonoras
Juramento Sem Bandeira
oCulto
Ponte Sonora
Problemas de Expressão
Via Rápida
Vidro Azul


Com Piada

Anti-Escutas
Blog do Bide
Desblogueador de Conversa
Eurico Cebolo Fan Clube
Farinha Amparo
Gato Fedorento
Il Matto
Pirilampo Mágico Project
Xobineski Patrusca


Com Cinema

Antestreia
Cine JRB
C7nemania
Mulholland Drive
Pipoca Rasca
Punk Drunk Movies


Com Muita Substância

Angústias de um Professor
[Avena]'s
Copy/Paste
Fruto Xocolaty
Hipotenusa
Mentecapto
Oblogalternativo
Pecola
Sem Pénis, nem Inveja
Supertatas
Words Of Darkness
3 Tesas Não Pagam Dívidas


Com Bola

Briosa Soccer
Académica Sempre
Simplesmente Briosa
Terceiro Anel









Contact Me

If you want to be updated on this weblog Enter your email here:

blogdrive

Wednesday, April 06, 2005
E eis que um novo blog começa...

Perante a tremenda e irritante falta de tempo para escrever convenientemente neste blog, decidi criar um que me permita ser mais directo, que possa actualizar mais frequentemente, que exponha o que ando a ouvir, em que possa divulgar algumas noticias que ache interessantes, coisas mais leves de escrever. O Lyricmoods vai entrar em fase de escrita descontinuada (já se encontrava assim) e será actualizado quando der...


A nova casa chama-se Lyricsounds passem por lá ;)

Posted at Wednesday, April 06, 2005 by LyricMoods
Comments (1)

Wednesday, March 02, 2005
The Album Leaf - On Your Way

Está frio, não me apetece fazer nada, apetece-me estar quieto, não pensar em nada, navegar pelos meus pensamentos sem dar satisfações a ninguém... a embalar este estado de espirito nada como os sons calmos e profundos do projecto  The Album Leaf (o nome vem de uma peça de Chopin)
Mas o que leva um californiano de San Diego, que tem uma formação clássica, mas uma carreira recheada de projectos ligados ao Rock, a navegar por melodias e sons totalmente nórdicos, bem ao estilo dos meus queridos Sigur Rós? Para mim é apenas mais uma prova cabal que o mundo não ficou nada indiferente a este tipo de música vinda das paisagens glaceares da Islândia e Jimmy LaValle (The Album Leaf é o projecto a solo deste senhor) ficou de tal forma impressionado que resolve explorar este tipo de som. Foram exactamente estes últimos que levaram LaValle a caminhar para essas direcções, a fonte de inspiração, não tardando a haver colaboração entre ambos (LaValle tanto insistiu em gravar no estudio de Sundlaugin dos Sigur, contando com a secção de cordas que os acompanha, os Amina, e contando com a colaboração dos 3 elementos da banda a nível de vozes, que conseguiu). Antes disto já dois álbuns se encontravam editados: An Orchestrated Rise To Fall (1999)  e One Day I'll Be On Time  (2001) e tinha andado a fazer as primeiras partes da tournée com os ditos cujos.
Assim, juntando os teclados de LaValle à colaboração já descrita, nasce em 2004 o melhor álbum (para mim) The Album Leaf: In A Safe Place. O toque de midas que os Sigur Rós deram ao som de LaValle elevou o seu som para outro patamar, para outro nível. As músicas são maioritariamente instrumentais, e são essas que prefiro neste projecto e álbum...  mas On Your Way é também ela uma grande música... com uma letra muito bonita.
Caso não conheçam aconselho vivamente a ouvirem The Album Leaf é mesmo um lugar seguro ;)






 
The Album Leaf - On Your Way


  you were sewn to the ground, so you cut the wires of lead.
you swim against the tide, yet you drowned in the sky.
you whispered to make a sound, and you crawled to reach the ground.
you held your head up high, yet you duck beneath the clouds.

you are on your way.

this one was locked, closed down and refrained.
you tore through the glass, no one could understand.
as you pushed them all away, you made them all return.
this on was overcome, yet you lost in the end.

you are on your way.



Posted at Wednesday, March 02, 2005 by LyricMoods
Comments (3)

Wednesday, February 16, 2005
Deerhoof - Milkman

Como devem ter reparado no meu top de 2004, o 2º lugar foi para uns tipos chamados Deerhoof... Chegou o dia de explicar quem são e falar sobre a sua música, que me deixou completamente arrebatado. Mas falar de Deerhoof é tudo menos fácil, é das coisas mais complexas a que já me propus escrever aqui. Há algo maléfico, esquizofranico perturbador, assombrado no som deles (qual filme de terror, cheio de cenas á la Hitchcok) onde os estridentes riffs de guitarras predominam; mas ao mesmo tempo temos momentos adornados com docura, com uma inocência quase infantil, como se de uma criança em busca do exorcismo perfeito se tratasse.
Estes quatro diabinhos de San Francisco (já tiveram outros elementos mas actualmente resumem-se a Greg Saunier; John Dieterich; Chris Cohen e à grandiosa Satomi Matsuzaki) iniciaram o seu percurso em 94, tendo editado o 1º trabalho em 97, e desde 99, ano de edição de Holdy Pawn editaram um álbum por ano, sendo os 3 últimos os mais reconhecidos (Reveille em '02; Apple'O em '03 e Milkman em '04). O experimentalismo que este quarteto faz, transformando a Pop num lugar sinistro e onde o Indie-Rock se aproxima do Noise, é de uma frescura sonora incrível. O sinal de proibição é coisa que não consta nos seus dicionários, fazendo o seu som "no fio da navalha" destes estilos. Pessoas com este nível de criação dão sempre entrevistas incríveis, como a que Dieterich deu à Bodyspace Aqui . É de ler e chorar por mais.
As letras dos Deerhoof também mostram o mundo demente e surreal que eles criaram. Milkman é a história de uma personagem sui generis de um "weird man" que passeia na "dream land"... é uma boa musica (que faz parte do álbum com o mesmo nome de 2004) para começar a explorar os Deerhoof... eu comecei por ai, e não parei até ouvir tudo o que estava para trás.


P.S.- O ritmo de posts tem vindo a diminuir por manifesta falta de tempo. Trabalho, estudo e um cargo de responsabilidade no grande forum de emule nacional no departamento de música ( http://www.max-pt.com/forum2/) não me tem deixado muito tempo para os breloques, mas com tempo vou conciliar melhor as coisas ;)







Deerhoof - Milkman


Milk Man sleeps on the roof in the noon
Bana-na-na stabbed to the arms, weird man
Ooh-la-la

Milk Man sneaks in the house under moon
Miracle words come to a mouth you may hear
Peek-a-boo

Chorus:
Come closer
How beautiful I play sound
Boys and girls
Here I come
I get you to escape night
Boys and girls
Be mine
I'll take you to my dream land
Now you're mine
I'll take you to our dream land
 
Milk Man smiles to you Hi in a nude
This banana stuck in my arms, oh my love
Stabbed to the arms, ooh-la-la
Yellow one

Chorus
Boo, boo, the Milk Man
Hi, hi, he's masked man

 

Posted at Wednesday, February 16, 2005 by LyricMoods
Comments (6)

Wednesday, January 26, 2005
Elliot Smith - A Fond Farewell

Porque é que a maioria das grande almas criativas deste mundo vivem sempre no "fio-da-navalha", sempre à beira do abismo, mesmo quando têm o reconhecimento do seu talento? Será assim tão difícil lidar com o sucesso, com a "luz do estrelato"? Kurt Cobain, Jeff Buckley ou Elliot Smith são bons casos dessa situação, tendo dado um ponto final às suas vidas no auge das suas carreiras. O caso Elliot Smith foi o mais recente (2003), mas passou-me um bocado ao lado. Conhecia pouco da sua carreira, mas a audição do seu último álbum, From a Basement On The Hill (2004), editado já depois da sua morte, foi o empurrão para descobrir que Songwritters como este não existem muitos.
Começou a ganhar notoriedade pela música Miss Misery, que pertence à banda sonora do filme Good Will Hunting (um grande filme de Gus Van Sant) tendo sido nomeado para os Oscars na categoria de melhor música, que foi ganho pela Celine Dion, no seu belo tema para o Titanic  o.O
Sendo essencialmente um Songwritter da Indie-Pop/Rock, não deixa de ser acertado um dos estilos que o AllMusic.com lhe atribui: Sadcore. Há qualquer coisa de negro e triste nas letras deste senhor, é só prestar um bocado de atenção à que deixo hoje aqui, A Fond Farewell, e a sensação de que o adeus estava para breve é grande... Ainda assim todo este negrume tem um beleza intensa, é a minha música e letra favorita de Elliot Smith, e não consigo perceber porquê... Assim como não percebo porque se vão tão cedo estes gajos. Aos 34 anos... Sad, very sad...







Elliot Smith - A Fond Farewell


The Litebrite's now black and white
Cause they took apart a picture that wasn't right
Pitch burning on a shining sheet
The only maker that you'd want to meet
A dying man in a living room
Whose shadow paces the floor
He`ll take you out any open door

This is not my life
It's just a fond farewell to a friend
It's not what i'm like
It's just a fond farewell to a friend
Who couldn't get things right
Fond farewell to a friend

He said really I just wanna dance
Good and evil matched perfect it's a great romance
I can deal with some physic pain
If it'll slow down my higher brain
Veins full of disappearing ink
Vomiting in the kitchen sink
Disconnecting from the missing link

This is not my life
It's just a fond farewell to a friend
It's not what i'm like
It's just a fond farewell to a friend
Who couldn't get things right
Fond farewell to a friend

I see you're leaving me and taking up with the enemy
The cold comfort of the in between
A little less than a human being
A little less than a happy high
A little less than a suicide
The only things that you really tried

This is not my life
It's just a fond farewell to a friend
It's not what i'm like
It's just a fond farewell to a friend
Who couldn't get things right
Fond farewell to a friend



Posted at Wednesday, January 26, 2005 by LyricMoods
Comments (5)

Wednesday, January 12, 2005
Interpol - C'mere

Quando um gajo se mete a fazer listas dos que considera ser os melhores álbuns do ano, existem sempre injustiças a cometer. No fim da lista feita fica-se co a sensação que cabia ali um ou outro, mas no fundo é a nossa lista. Não se trata de ignorar ou gostar menos... apenas não foi tão marcante quanto os que lá estão. Um desses casos foi Antics dos nova-yorquinos Interpol. E eu os Interpol temos uma história um bocado díficil: o álbum de estreia Turn On The Bright Lights, editado em 2002, foi posto nos pincaros por todo o mundo, toda a gente fala bem desse álbum, no entanto eu não vou nada à bola com ele. Sendo eu apreciador inveterado de Indie-Rock, como explicar este alheamento ao primeiro álbum dos Interpol? É que a cena Indie de Nova York não me passa nada, mas mesmo nada ao lado (Yeah Yeah Yeahs, Liars, and so on).
Este ano saiu o 2º da banda, Antics, que à primeira apreciação levava o mesmo caminho que o seu antecessor: indiferença e algum afastamento. Mas devido a ter lido uma apreciação na qual diziam ser um álbum que crescia à medida que as audições se repetiam (eu sou do tipo que leva muito em consideração a 1ª audição, podendo com isso fazer más interpretações). Voltei a rodá-lo, e em boa hora o fiz, porque onde apenas descurtinava 3 boas canções (Evil, Slow Hands e C'mere) passei a ver um bom conjunto de músicas. Talvez por ser um álbum mais ligeiro que o primeiro, Antics consegui apoderar-se de mim (a Vanity Fair refere-se a ele como “Achingly beautiful…explores emotional blues but never, ever plays the blues.”
Caros Sam Forguino, Daniel Kassler, Carlos Dengler e Paul Banks, algo me leva a crer que daqui a uns bons anos vou olhar com outros olhos Turn On The Bright Lights. Entretanto vou escutando as belas melodias de Antics e histórias como C'mere.




 


Interpol - C'mere


It's way too late to be this locked inside ourselves
The trouble is that you're in love with someone else
It should be me. Oh, it should be me

Your sacred parts, your getaways
You come along on summer days
Tenderly, tastefully

And so may, we make time
Try to find somebody else
This place is mine
 
You said today, you know exactly how I feel
I had my doubts little girl
I'm in love with something real
It could be me, that's changing

And so may, we make time
To try and find somebody else
Who has a line

Now seasoned with health
Two lovers walk on lakeside mile
Try pleasing with stealth, rodeo
See what stands long ending fast

Oh, how I love you in the evenings
When we are sleeping
We are sleeping. Oh, we are sleeping
 
And so may, we make time
We try to find somebody else
Who has a line

Now seasoned with health
Two lovers walk a lakeside mile
Try pleasing with stealth, rodeo
See what stands long, oh ending fast


 

Posted at Wednesday, January 12, 2005 by LyricMoods
Comments (8)

Thursday, December 30, 2004
15 melhores álbuns internacionais 2004

15. Morrissey - You Are The Quarry - O esperado regresso do Sr. canções... e que regresso



14. Audrey - Audrey EP - Melodias Nórdicas (mistura de Múm, Low e Mogwai) que provam que meia duzia de boas canções muitas vezes valem mais que 10 razoáveis.



13. PJ Harvey - Uh Huh Her - O lado mais rude e crú de PJ de novo exposto. Correm rumores que terá feito o seu último concerto ao vivo... espero que não passem mesmo de rumores.



12. Tortoise - It's All Around You - Um dos icones maiores do Post-Rock... mais um peça de arte



11. The Libertines - The Libertines - Tanta libertinagem que acabaram tão rápido como surgiram... é pena.



10. Mirah - C'Mon Miracle - Esta senhora apoderou-se de mim este ano... estou viciado.



9. Blues Explosion - Damage - Jon Spencer a mostrar aos putos como se faz Rock n' Roll a sério



8. The Album Leaf - In A Safe Place - Um daqueles para ouvir de olhos bem fechados... lindo!!!



7. Nina Nastasia - Dogs - Aquele 9/10 no Blitz levou-me a este disco e a esta senhora... Obrigado Blitz !!!



6. Air - Talkie Walkie - Foi a primeira bomba do ano... Uma belíssima fusão entre a Pop e a Electrónica



5. Blonde Redhead - Misery is a Butterfly - Indie-Rock do catálogo da 4AD... e está tudo dito



4. Nouvelle Vague - Nouvelle Vague - Sons antigos transformados com leveza e arte... Assim sou a favor de covers



3. Cocorosie - La Maison de Mon Rêve - O álbum das irmãs Casady é ideal para embalar os sonhos de qualquer um...  



2. Deerhoof - Milk Man - Loucura e esquizofrenia, embrulhados pela voz colegial de uma japonesa intratável... a descoberta do ano.



1. Franz Ferdinand - Franz Ferdinand - Hypes como este quero muitos... rebentaram tudo ao 1º round... Álbum do ano. 





Posted at Thursday, December 30, 2004 by LyricMoods
Comments (2)

Wednesday, December 29, 2004
10 melhores álbuns nacionais 2004

10. Ölga - Ölga EP - Post-Rock suave e muito agradável... espero pelo álbum em 2005



9. Dead Combo - Vol.1 - Tó Trips e Pedro Goncalves: a guitarra desajeitada e o contrabaixo tuga



8. Bulllet - Torch Songs For Secret Agents - Arnaldo Teixeira com sabor a James Bond Soundtrack



7. Clã - Rosa Carne - Mais um grande disco, cheio de sensualidade, de Manuela e companhia

 

6. Pluto - Bom Dia - Um grande bom dia para vocês também... sejam bemvindos novamente



5. Quinteto Tati - Exílio - JP Simões e as suas trovas cabareanas em português.

 

4. Bunnyranch - Trying To Loose - Bom em LP, arrasador ao vivo. Kaló canta e toca nas horas



3. Rodrigo Leão - Cinema - Boas parcerias, a boa música de sempre... mereçe reconhecimento.




2. Mão Morta - Nús - Uma banda de culto, que sabe cultivar o seu culto... mais, quero mais



1. Wray Gunn - Eclesiaste 1.11 - Da mente criativa de Paulo Furtado pode sair tudo... para mais tarde recordar. Álbum nacional do Ano (só???)




Posted at Wednesday, December 29, 2004 by LyricMoods
Comments (4)

Wednesday, December 22, 2004
The Ramones - Merry Christmas (I Don't Want To Fight Tonight)

Se existe coisa que me irrita no Natal (sem ser a hipócrisia e o desmesurado consumismo em que converteram esta quadra) são os chatarrões dos jingles que temos que gramar por tudo o que é canto. Eu deixei de percorrer a baixa de Coimbra desde o principio do mês porque nem com os phones a alto som se consegue evitar tais sons. As músicas são intragáveis e se não basta-se 70% da emissão é publicidade, tipo Sapataria Ginita... não há pachorra.

Por isso mesmo a lyric natalícia é bem ao meu género, made by The Ramones (sobre os quais não me vou alongar por agora, mais tarde voltarei a estes grandes propulsores do Punk), que para além de estar editada no álbum Brain Drain (1989) faz parte de um sem número de colectâneas de Natal, entre as quais a Punk Rock Christmas (1995) .


Assim sendo, desejo Boas Festas a todos, um Santo Natal e um grande Merry Christmas ;)






The Ramones - Merry Christmas (I Don't Want To Fight Tonight)



Where is Santa? At his sleigh?
Tell me why is it always this way?
Where is Rudolph? Where is Blitzen, baby?
Merry Christmas, merry merry merry Christmas

All the children are tucked in their beds
Sugar-plum fairies dancing in their heads
Snowball fighting, it's so exciting baby

I love you and you love me
And that's the way it's got to be
I loved you from the start
'Cause Christmas ain't the time for breaking each other's hearts

Where is Santa? At his sleigh?
Tell me why is it always this way?
Where is Rudolph? Where is Blitzen, baby?
Merry Christmas, merry merry merry Christmas

All the children are tucked in their beds
Sugar-plum fairies dancing in their heads
Snowball fighting, it's so exciting baby

Yeah, yeah, yeah

I love you and you love me
And that's the way it's got to be
I loved you from the start
'Cause Christmas ain't the time for breaking each other's hearts

Merry Christmas, I don't want to fight tonight
Merry Christmas, I don't want to fight tonight
Merry Christmas, I don't want to fight tonight with you


 


Posted at Wednesday, December 22, 2004 by LyricMoods
Comments (3)

Wednesday, December 15, 2004
Ena Pá 2000 - És Cruel

A stripper Nelly Batmum (a última stripper de Lisboa que ainda faz um número sem ser na barra e mímica), um espectáculo de pulgas menstruadas, actuações de Lelo Minsk ou Orgasmo Carlos, uma mensagem de Phil Mendrix (o melhor guitarrista de Portugal e colónias) e um convidado especial chamado Vieira, o candidato, foram algumas das desventuras do concerto comemorativo dos 20 anos dos Ena Pá 2000, que ocorreu dia 30 de Novembro, no Paradise Garage. 20 anos ao serviço do Showbiz, porque Manuel João Vieira e seus pares são entertainers do melhor que este país já conheceu (parece exagerado mas não é).
Quem diria que 5 fulaninhos da Foz do Arelho, que primeiramente se designaram Modess & Aderentes, quando arriscaram a sua sorte em Lisboa (onde encontraram o sexto elemento da banda) e passaram a Ena Pá 2000 viriam a ser o que são hoje. Lello Vilarinho, também conhecido por Lello Marmelo, Lello Minsk, Lello Universal, Conégo Lello, Lello Orgasmo Carlos, etc.. (voz, violoncelo, trompete e bandolim); Pão Diospiro (guitarra sintetizadora); Francis Ferrugem (percussão); Pepito Durex (saxofone, viola, trompa); Manuel Anão (contrabaixo) e Joselito Desirato (bateria), são eles o grande fenómeno Ena Pá 2000.
De Projecto Ena Pá 2000 Project! (1991) a A luta Continua (2004) eles cá continuam, afirmando não ser apenas divertidos ou cómicos, que têm uma mensagem para dar, só não sabem é qual; e reconhecendo que as suas músicas são muito más (não são nada) por isso mesmo prometem fazer ainda mais música até se afundarem na própria música.
São canções como Marilu, Sexo na Banheira, Gajo Muita Fixe, Rap Alentejano, Vão Para o Caralho, que explicam o porquê e a importância dos Ena Pá 2000 no nosso rectângulo, fazendo do politicamente incorrecto a sua arte. E depois temos Manuel João Vieira. Eu fui um dos que deu assinatura para a candidatura do Candidato Vieira , e digo já que volto a dar. Coincidência ou não o governo de Santana Lopes caiu no dia dos 20 anos dos Ena Pá e Vieira não deixou passar a ocasião em claro e revelou que foi até a conselho seu que “o futuro ex-Presidente Sampaio” tirou “de lá esse melro”.
Foi um grandioso mer(g)da concerto entitulado Ena Pá 2000 - 20 anos a pedalar na bosta, que ainda não tinha começado e já se gritava "Vieira a Presidente" porque com ele a máxima é: “os outros fazem, eu prometo”. E muito haveria para dizer sobre eles, mas venha a emblemática És cruel.






 

Ena Pá 2000 - És Cruel



És cruel
Meteste a tua filha num bordel
Enforcaste o teu caniche a um cordel
És cruel

És tarado
Pintaste o sexo cor de rebuçado
No circo tu serias um achado
És tarado

És um porco imundo
Quando queres vais até ao fundo
Não sei onde vais parar

És ignóbil
Não sei qual é que é o teu móbil
És um reciclado de Chernobil
És ignóbil

És vaidoso
Meteste uma pompom na tua franja
Sabes que ainda o dia é uma criança
És vaidoso

És um porco imundo
Quando queres vais até ao fundo
Não sei onde vais parar



És obtuso
Lavas a tua tromba com agua do Luso
O teu nariz é como um parafuso
És tarado

És obsceno
Os teus olhos viciam veneno
Encharcas-te com vinho do Reno
És cruel

És um porco imundo
Quando queres vais até ao fundo
Não sei onde vais parar



És um porco imundo
Quando queres vais até ao fundo
Não sei onde vais parar

Não sei onde vais parar


Posted at Wednesday, December 15, 2004 by LyricMoods
Comments (1)

Friday, December 03, 2004
Oftopic - Kimmo Pohjonen @ TAGV Coimbra 2004

Kimmo Pohjonen de regresso a Portugal. Misturando de forma única os sons do acordeão com samplers e percussões, a cargo de Samuli Kosminen (dos islandeses Múm), Pohjonen é, hoje em dia, um dos mais criativos artistas da Europa. O seu único concerto em Portugal, até agora, aconteceu o ano passado, no Festival Sons em Trânsito. O resultado foi arrasador, com Gonçalo Frota (Blitz) a considerar esse espectáculo como um dos melhores do ano em Portugal e João Bonifácio (Público) a intitular a sua crítica "Uma estátua para Pohjonen s.f.f."...

Uma, sim... do tamanho da estátua da liberdade s.f.f. !!!! Enorme!!! Brutal !!! Demolidor !!! Foda-se, Kimmo legisla !!!!!

Para casos como os de Pohjonen inventou-se uma palavra: génio. Na categoria "absoluto” (Público, 2003)




 



Posted at Friday, December 03, 2004 by LyricMoods
Comments (1)

Next Page